quinta-feira, 30 de outubro de 2014


O vereador Beto Cangussu requereu a Prefeitura Municipal informações sobre os Professores que estão cumprindo função fora de salas de aula. Quantos são e aonde estão?
Leia o Requerimento e a resposta da Prefeitura 

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

IFSP - PROCESSO SELETIVO


Mensagem de Lula sobre as eleições de 2014

DESEMPENHO DE DILMA NAS REGIÕES DO PAÍS


Após vencer a eleição presidencial com o número de votos na região sudeste semelhante ao nordeste (19,86 milhões a 20,17 milhões, a presidenta reeleita Dilma Rousseff, pregou diálogo, pediu união aos brasileiros e disse não acreditar que o país tenha saído dividido das eleições. 
A exemplo do que ocorreu após os protestos de junho de 2013, Dilma voltou a falar em plebiscito pela reforma política. 
Dilma teve 51,64% dos votos contra 48,36% de Aécio Neves (PSDB). "Conclamo sem exceção a todas as brasileiras e a todos os brasileiros para nos unirmos em favor do futuro de nossa pátria de nosso país, de nosso povo", disse Dilma.


JORNAL DIGITAL 29 DE OUTUBRO 2014


Para receber semanalmente o jornal digital do vereador Beto Cangussu mande seu e-mail para betocangussu@camararibeiraopreto.sp.gov.br ou preencha o formulário ao lado.

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM GESTÃO E POLÍTICAS PÚBLICAS


Belo Horizonte recebe 5ª turma do curso de Especialização

A Fundação Perseu Abramo (FPA) inicia no dia 12 de dezembro as aulas presenciais da quinta turma do curso de Especialização em Gestão e Políticas Públicas
.
O curso tem como público-alvo os filiados e filiadas ao PT de todo o país que possuam diploma de graduação em qualquer área (pré-requisito obrigatório). É necessário que os interessados em participar desse curso possuam familiaridade e possibilidade de acesso cotidiano à internet para realização das tarefas em educação à distância.
As inscrições serão feitas exclusivamente pelo portal da Fundação Perseu Abramo, na Área do Conhecimento, entre os dias 30 de outubro e 12 de novembro de 2014.
Para a 5ª turma são oferecidas 300 vagas. E o primeiro encontro presencial será de 12 a 14 de dezembro, em Belo Horizonte (MG). O curso, em nível de pós-graduação, modalidade extensão universitária, será semipresencial e contará com 408 horas-aula.
A aprovação com aproveitamento no curso exige, além da participação obrigatória nos momentos presenciais, “uma dedicação semanal média de oito horas para leituras, estudos, acompanhar filmes e vídeos, realizar atividades na modalidade de educação à distância e elaborar trabalho final de conclusão do Curso”, contou Greiner Costa, professor responsável pelo curso de Especialização da FPA.
Datas das aulas presenciais
Abertura: dias 12, 13 e 14 de dezembro de 2014
2º encontro presencial - dias 14, 15 e 16 de maio de 2015
3º encontro presencial e encerramento: dias 26, 27, 28 e 29 de novembro de 2015
Maiores informações ou dúvidas: posgraduacao@fpabramo.org.br

PAPA BUSCA IDENTIFICAR A FAMÍLIA ATUAL

       PAPA BUSCA IDENTIFICAR A FAMÍLIA ATUAL
Frei Betto
      Desde de 5 de outubro, até o próximo dia 19, reúne-se em Roma o Sínodo Extraordinário sobre a Família. Convocado pelo papa Francisco em outubro de 2013, esta reunião de bispos do mundo inteiro foi precedida pelo debate em torno de documento sobre os desafios à Igreja, dentre os quais os novos perfis de família. O tema será retomado no Sínodo Ordinário de 2015.      Constata o documento: “Hoje perfilam-se problemáticas até há poucos anos inéditas, desde a difusão dos casais de fato, que não acedem ao matrimônio e, às vezes, excluem esta própria ideia, até as uniões entre pessoas do mesmo sexo, às quais não raramente é permitida a adoção de filhos. Entre as numerosas novas situações que exigem a atenção e o compromisso pastoral da Igreja, será suficiente recordar: os matrimônios mistos ou interreligiosos; a família monoparental; a poligamia; os matrimônios combinados, com a consequente problemática do dote, por vezes entendido como preço de compra da mulher; o sistema das castas; a cultura do não comprometimento e da presumível instabilidade do vínculo; as formas de feminismo hostis à Igreja; os fenômenos migratórios e a reformulação da própria ideia de família; o pluralismo relativista na noção de matrimônio; a influência dos meios de comunicação sobre a cultura popular na compreensão do matrimônio e da vida familiar; as tendências de pensamento subjacentes a propostas legislativas que desvalorizam a permanência e a fidelidade do pacto matrimonial; a difusão do fenômeno das mães de substituição (“barriga de aluguel”); e as novas interpretações dos direitos humanos. Mas, sobretudo, no âmbito mais estritamente eclesial, o enfraquecimento ou abandono da fé na sacramentalidade do matrimônio e no poder terapêutico da penitência sacramental.”      Francisco vai direto ao ponto, ao contrário de outros papas que, para não criar atritos com os conservadores, preferiam deixar às calendas temas candentes que exigem, com urgência, posicionamento da Igreja, como aborto, sacerdócio de mulheres, volta ao ministério sacerdotal de padres casados, homossexualidade, celibato obrigatório etc.      O documento preparatório explicitou as preocupações do papa, entre as quais como evangelizar crianças de pais divorciados impedidos de se aproximar dos sacramentos? Podem os divorciados participar da eucaristia?      O documento enviou a todas as dioceses do mundo perguntas cujas respostas servem agora de base ao Sínodo Extraordinário. Entre elas, o tópico “Sobre as uniões de pessoas do mesmo sexo: a) Existe no vosso país uma lei civil de reconhecimento das uniões de pessoas do mesmo sexo, equiparadas de alguma forma ao matrimônio? b) Qual é a atitude das Igrejas particulares e locais, quer diante do Estado civil promotor de uniões civis entre pessoas do mesmo sexo, quer perante as pessoas envolvidas neste tipo de união? c) Que atenção pastoral é possível prestar às pessoas que escolheram viver em conformidade com este tipo de união? d) No caso de uniões de pessoas do mesmo sexo que adotaram crianças, como é necessário comportar-se pastoralmente, em vista da transmissão da fé?”      Não se espere desta reunião decisões que, da noite para o dia, mudem o comportamento pastoral da Igreja Católica. Instituição bimilenária, seus avanços são cautelosos.      No entanto, Francisco tem pressa. Conhece os escândalos no interior da Igreja: casos gritantes de pedofilia (que ele pune com rigor); congregações religiosas que se transformaram em grandes empresas famintas por lucros; casais que mantêm relações sexuais sem intenção de procriar (o que é vetado pela doutrina em vigor); jovens que perdem a virgindade antes do casamento; relativização da ideia de pecado etc.      O fundamento da família é o amor. “Deus é amor” e “quem ama nasceu de Deus”, diz João no capítulo 4 de sua primeira carta. De que vale uma família desprovida de amor? E Deus não se faz presente em toda verdadeira relação amorosa, ainda que fuja ao modelo de família próprio da modernidade?      Sonho com o dia em que um casal de jovens, ao experimentar a primeira paixão, saiba que faz experiência de Deus! Frei Betto é escritor, autor do romance “Aldeia do silêncio” (Rocco), entre outros 

livros.http://www.freibetto.org/>    twitter:@freibetto.

DEUS É GAY?

DEUS É GAY?
 
Frei Betto

      Nunca antes na história da Igreja um papa ousou, como Francisco, colocar a questão da sexualidade no centro do debate eclesial: homossexualidade, casais recasados, uso de preservativo etc. O Sínodo da Família, reunido no Vaticano, só dará sua palavra final sobre esses temas em outubro de 2015, quando voltará a se reunir.
      Quem, como eu, transita há décadas na esfera eclesiástica, sabe que é significativo o número de gays entre seminaristas, padres e bispos. Por que não gozarem, no seio da Igreja, do mesmo direito dos heterossexuais de se assumirem como tal? Devem permanecer “no armário”, vitimizados pela Igreja e, supostamente, por Deus, por uma culpa que não têm?
     É preciso reler o Evangelho pela óptica dos gays, como já se faz pela óptica feminista, já que a presença de Jesus entre nós foi lida pelas ópticas aramaica (Marcos); judaica (Mateus); pagã (Lucas); gnóstica (João); platônica (Agostinho) e aristotélica (Tomás de Aquino).
     A unidade na diversidade é uma característica da Igreja. Basta lembrar que são quatro os evangelhos, e não um só: quatro enfoques distintos sobre o mesmo Jesus. 
     Até a década de 1960, predominava no Ocidente uma única óptica teológica: a europeia, tida como “a teologia”. O surgimento da Teologia da Libertação, com a leitura da Palavra de Deus pela óptica dos pobres, causa ainda incômodo àqueles que consideram a óptica eurocentrada como universalmente ortodoxa.
      Diante dos escândalos de pedofilia, dos 100 mil padres que abandonaram o sacerdócio por amor a mulheres, e da violência física e simbólica aos gays, Francisco ousa se erguer contra o cinismo dos que se arvoram em “atirar a primeira pedra.”
      Como Jesus, a Igreja não pode discriminar ninguém em razão de tendência sexual, cor da pele ou condição social. O que está em jogo é a dignidade da pessoa humana, o direito de casais gays serem protegidos pela lei civil e educarem seus filhos na fé cristã, o combate e a criminalização da homofobia, um grave pecado.
     A Igreja não pode continuar cúmplice e, por isso, acaba de superar oficialmente a postura de considerar a homossexualidade um “desvio” e “intrinsecamente desordenada”.
     A dificuldade de a Igreja Católica aceitar a plena cidadania LGTB se deve à sua tradição bimilenar judaico-cristã, que é heteronormativa. Por isso, os conservadores reagem como se o papa traísse a Igreja, a exemplo do que fizeram no passado, quando se recusaram a aceitar a separação entre Igreja e Estado; a autonomia das ciências; a liberdade de consciência; as relações sexuais, sem fins procriativos, dentro do matrimônio; a liturgia em língua vernácula.
      Deus é gay? “Deus é amor”, diz a Primeira Carta do apóstolo João, e acrescenta “o amor é de Deus e todo aquele que ama nasceu de Deus e conhece a Deus.” E se somos capazes de nos amar uns aos outros “Deus permanece em nós.”
     Por ser a presença de Deus entre nós, Jesus transitou, sem discriminação, entre o mundo dos “pecadores” e dos “virtuosos”. Não apedrejou a adúltera; não fugiu da prostituta que lhe enxugou os pés com os próprios cabelos; não negou a Madalena, que tinha “sete demônios”, a graça especial de ser a primeira testemunha de sua ressurreição.
      Jesus também não se recusou a dialogar com os “virtuosos” – aceitou jantar na casa do fariseu; acolheu Nicodemos na calada da noite; dialogou sobre o amor samaritano com o doutor da lei; propôs ao rico que, “desde jovem”, abraçava todos os mandamentos, a fazer opção pelos pobres.
      Sobretudo, Jesus ensinou que não é escalando a montanha das virtudes morais que alcançamos o amor de Deus. Esta a proposta dos fariseus e a rota de Sísifo. É nos entregando ao amor de Deus, gratuito e misericordioso, que logramos fidelidade à sua Palavra.
     Fé, confiança e fidelidade são palavras irmãs. Têm a mesma raiz. E a vida ensina que João é fiel à Maria e vice-versa, não porque temem o pecado do adultério, e sim porque vivem em relação amorosa tão intensa que nem cogitam a menor infidelidade.
 
Frei Betto é escritor, autor de “A arte de semear estrelas” (Rocco), entre outros livros.
 http://www.freibetto.org>    twitter:@freibetto.

PARA ENTENDER A VITÓRIA DE DILMA ROUSSEFF


Para entender a vitória de Dilma Rousseff

27/10/2014
Nestas eleições presidenciais, os brasileiros e brasileiras se confrontaram com uma cena bíblica, testemunhada no salmo número um: tinha que escolher entre dois caminhos: um que representa o acerto e a felicidade possível e outro, o desacerto e infelicidade evitável.
Criaram-se todas as condições para uma tempestade perfeita com distorções e difamações, difundidas na grande imprensa e nas redes sociais, especialmente uma revista que ofendeu gravemente a ética jornalística, social e pesssoal publicando falsidades para prejudicar a candidata Dilma Rousseff. Atrás dela se albergam as elites mais atrasadas que se empenham antes em defender seus privilégios que universalizar os direitos pessoais e sociais.
Face a estas adversidades, a Presidenta Dilma ao ter passado pelas torturas nos porões dos órgãos de repressão da ditadura militar, fortaleceu sua identidade, cresceu em determinação e acumulou energias para enfrentar qualquer embate. Mostrou-se como é: uma mulher corajosa e valente. Ela transmite confiança, virtude fundamental para um político. Mostra inteireza e não tolera malfeitos. Isso gera no eleitor ou eleitora o sentimento de “sentir firmeza”.
Sua vitória se deve em grande parte à militância que saiu às ruas e organizou grandes manifestações. O povo mostrou que amadureceu na sua consciência política e soube, biblicamente, escolher o caminho que lhe parecia mais acertado votando em Dilma. Ela saiu vitoriosa com mais de 51% dos votos.
Ele já conhecia os dois caminhos. Um, ensaiado por oito anos, fez crescer economicamente o Brasil mas transferiu a maior parte dos benefícios aos já beneficiados à custa do arrocho salarial, do desemprego e da pobreza das grandes maiorias. Fazia políticas ricas para os ricos e pobres para os pobres. O Brasil fez-se um sócio menor e subalterno ao grande projeto global, hegemonizado pelos países opulentos e militaristas. Esse não era o projeto de um país soberano, ciente de suas riquezas humanas, culturais, ecológicas e digno de um povo que se orgulha de sua mestiçagem e que se enriquece com todas as diferenças.
O povo percorreu também o outro caminho, o do acerto e da felicidade posssível. Neste ele teve centralidade. Um de seus filhos, sobrevivente da grande tribulação, Luiz Inácio Lula da Silva, conseguiu com políticas públicas, voltadas aos humilhados e ofendidos de nossa história, que uma Argentina inteira fosse incluída na sociedade moderna. Dilma Rousseff levou avante, aprofundou e expandiu estas políticas com medidas democratizantes como o Pronatec, o Pro-Uni, as cotas nas universidades para os estudantes vindos da escola pública e não dos colégios particulares; as cotas para aqueles cujos avós vieram dos porões da escravidão assim como todos os programas sociais do Bolsa Família, o Luz para Todos, a Minha Casa, minha Vida, o Mais Médicos entre outros.
A questão de fundo de nosso país está sendo equacionada: garantir a todos mas principalmente aos pobres o acesso aos bens da vida, superar a espantosa desigualdade e criar mediante a educação oportunidades aos pequenos para que possam crescer, se desenvolver e se humanizar como cidadãos ativos.
Esse projeto despertou o senso de soberania do Brasil, projetou-o no cenário mundial como uma posição independente, cobrando uma nova ordem mundial, na qual a humanidade se descobrisse como humanidade, habitando a mesma Casa Comum.
O desafio para a Presidenta Dilma não é só consolidar o que já deu certo e corrigir defeitos mas inaugurar um novo ciclo de exercício do poder que signifique um salto de qualidade em todas as esferas da vida social. Pouco se conseguirá se não houver uma reforma política que elimine de vez as bases da corrupção e que permita um avanço da democracia representativa com a incorporação da democracia participativa, com conselhos, audiências públicas, com a consulta aos movimentos sociais e outras instituições da sociedade civil. É urgente uma reforma tributária para que tenha mais equidade e ajude a suplantar a abissal desigualdade social. Fundamentalmente a educação e a saúde estarão no centro das preocupações desse novo ciclo. Um povo ignorante e doente não pode dar nunca um salto rumo a um patamar mais alto de vida. A questão do saneamente básico, da mobilidade urbana (85% de população vive nas cidades) com transporte minimamente digno, a segurança e o combate à criminalidade são imperativos impostos pela sociedade e que a Presidenta se obrigará a atender.
Ela nos debates apresentou um leque signficativo de transformações a que se propôs. Pela seridade e sentido de eficácia que sempre mostrou, podemos confiar que acontecerão.
Há questões que mal foram acenadas nos debates: a importância da reforma agrária moderna que fixa o camponês no campo com todas as vantagens que a ciência propiciou. Importa ainda demarcar e homologar as terras indígenas, muitas ameaçadas pelo avanço do agro-negócio.
Por último e talvez o maior dos desafios nos vem do campo da ecologia. Severas ameaças pairam sobre o futuro da vida e de nossa civilização, seja pela máquina de morte já criada que pode eliminar por várias vezes toda a vida e as consequências desastrosas do aquecimento global. Se chegar o aquecimento abrupto, como inteiras sociedades científicas alertam, a vida que conhecemos talvez não possa subsistir e grande parte da humanidade será letalmente afetada. O Brasil por sua riqueza ecológica é fundamental para o equiíbrio do planeta crucificado. Um novo governo Dilma não poderá obviar esta questão que é de vida ou morte para a nossa espécie humana.
Que o Espírito de sabedoria e de cuidado oriente as decisões difíceis que a Presidenta Dilma Rousseff deverá tomar.

SALAS DE AULA NOVAS - RESPOSTA DA PREFEITURA


O vereador Beto Cangussu requereu a Secretária Municipal da Educação informações sobre quantas novas salas de aulas serão criadas ou abertas neste ano de 2014 da presente data até o final do ano letivo e no ano de 2015. Em quais bairros e em quais níveis de ensino. 
Leia o requerimento  e a resposta da prefeitura

CHAMAMENTO PEB I - RESPOSTA DA PREFEITURA


O vereador Beto Cangussu requereu a Secretária Municipal da Educação informações sobre quantos concursados para o cargo de PEB I, aprovados no Concurso Público, serão chamados  para o suprimento de demanda e qual a previsão deste chamamento.

Leia o requerimento  e a resposta da prefeitura

terça-feira, 28 de outubro de 2014

Discurso de Dilma Rousseff após ser reeleita Presidente do Brasil




Dilma Rousseff – Boa noite. Eu queria cumprimentar a todos aqui, agradecer a cada um de vocês e a cada uma de vocês. Começo saudando o Presidente Lula, Presidente Lula!
Todos – Olê, olê, olê, olá, Lula, Lula! Dilma eu te amo, Lula eu te amo! Lula eu te amo! Dilma eu te amo!
Dilma Rousseff – Dirijo meu agradecimento e minha saudação ao vice-Presidente da República, Michel Temer.
Todos – Michel! Michel!
Dilma Rousseff – Queria cumprimentar também a vice-primeira dama, a nossa querida Marcela. Cumprimentar os presidentes dos partidos da minha coligação: Rui Falcão, Presidente do PT; Carlos Lupi, Presidente do PDT; José Renato Rabelo, presidente do PCdoB; Ciro Nogueira, presidente do PP; Vitor Paulo, presidente, aliás, do Partido Republicano Brasileiro, PRB; Antônio Carlos Rodrigues, presidente do Partido da República; Gilberto Kassab, presidente do PSD; Eurípedes Júnior, presidente do PROS; cumprimento aqui os Ministros de Estado, os governadores, deputados federais e senadores que me honram com a sua presença. Senhoras e senhores jornalistas, fotógrafos e cinegrafistas, senhoras e senhores, meus amigos e minhas amigas chegamos, chegamos… Eu vou pedir, oh gente, um pouquinho de silêncio, porque a minha voz se foi, então eu estou aqui usando um restinho de voz, peço que vocês me deem uma força.
Todos – Dilma! Dilma! Dilma! Dilma!
Dilma Rousseff – Então eu peço uma força para vocês.
Todos – Dilma! Dilma! Dilma! Dilma!
Dilma Rousseff – Meus queridos, minhas amigas e meus amigos chegamos ao final de uma disputa eleitoral que mobilizou intensamente todas as forças da nossa, do nosso País, da Nação. Como vencedora dessas eleições históricas, eu tenho simultaneamente palavras de agradecimento e de conclamação, agradeço ao meu companheiro de chapa, parceiro de todas as horas, meu vice Michel Temer. Agradeço aos partidos políticos e sua militância que sustentaram a nossa aliança e foram decisivos para a nossa vitória. Agradeço a cada um e a cada uma dos integrantes dessa militância combativa, que foi a alma, que foi a força dessa vitória, e agradeço sem exceção a todos os brasileiros e brasileiras. Eu faço um agradecimento do fundo do meu coração a um militante, ao militante número 01 das causas do povo e do Brasil, o Presidente Lula.
Todos – Olê, olê, olê, olá, Lula, Lula! Olê, olê, olê, olá, Lula, Lula!
Dilma Rousseff – Conclamo, por favor, conclamo sem exceção a todas as brasileiras e a todos os brasileiros para nos unirmos em favor do futuro de nossa pátria, de nosso país e de nosso povo. Não acredito sinceramente do fundo do meu coração não acredito que essas eleições tenham dividido o país ao bem, entendo sim que elas mobilizaram ideias e emoções às vezes contraditórias, mas movidas por um sentimento comum, a busca de um futuro melhor para o país. Em lugar de ampliar divergências, de criar um fosso tenho forte esperança de que a energia mobilizadora tenha preparado um bom terreno para a construção de pontes. O calor liberado no fragor da disputa pode e deve agora ser transformado em energia construtiva de um novo momento no Brasil. Com a força desse sentimento mobilizador é possível encontrar pontos em comum e construir com eles uma primeira base de entendimento para fazermos o nosso país avançar. Algumas vezes na história resultados apertados produziram mudanças mais fortes e mais rápidas do que vitórias muito amplas.
É essa a minha esperança, ou melhor, a minha certeza do que vai ocorrer a partir de agora no Brasil, o debate, o debate das ideias, o choque de posições pode produzir espaços de consensos, capazes de mover nossa sociedade nas trilhas de mudanças que tanto necessitamos. Minhas primeiras palavras são, portanto, de chamamos à paz e à união. Nas democracias maduras, união, não significa necessariamente unidade de ideias, nem ação monolítica conjunta, pressupõe em primeiro lugar a abertura e disposição para o diálogo, essa Presidenta aqui está disposta ao diálogo e é este o meu primeiro compromisso do segundo mandato, diálogo. Minhas amigas e meus amigos toda eleição tem que ser vista como uma forma pacífica e segura de mudança de um país, toda eleição é uma forma de mudança, principalmente para nós que vivemos numa das maiores democracias do mundo. Quando uma reeleição se consuma, ela, a reeleição, tem de ser entendida como um voto de esperança dado pelo povo na melhoria do governo, voto de esperança é o que é uma reeleição, muito especialmente na melhoria dos atos dos que até então vinham governando. Eu sei que é isso que o povo diz quando reelege um governante, foi o que eu escutei nas urnas, por isso quero ser uma Presidenta muito melhor do que fui até agora.
Quero ser uma pessoa ainda melhor do que tenho me esforçado por ser, esse sentimento, esse sentimento de superação deve não apenas impulsionar o governo e a minha pessoa, mas toda a nação, o caminho é muito claro, algumas palavras e temas dominaram essa campanha, a palavra mais repetida, mais dita, mais falada, mais dominante foi “Mudança”, o tema mais amplamente invocado foi “reforma”, sei que eu estou sendo reconduzida à Presidência para fazer as grandes mudanças que a sociedade brasileira exige, naquilo, naquilo que meu esforço, meu papel e meu poder alcançam podem ter certeza, estou pronta a responder essa convocação, direi sim a esse sentimento que vem do mais profundo da alma brasileira. Sei das forças e das limitações que têm qualquer Presidente, sei também do poder que cada Presidente tem de liderar as grandes causas populares, e eu o farei.
A minha disposição mais profunda é liderar da forma mais pacífica e democrática esse momento transformador. Estou disposta a abrir um grande espaço de diálogo com todos os setores da sociedade para encontrarmos as soluções mais rápidas para os nossos problemas. Minhas amigas e meus amigos aqui presentes e todos que estão nos escutando e a todo o povo brasileiro, entre as reformas a primeira e mais importante deve ser a reforma política.
Meu compromisso, como ficou claro durante toda a campanha, é deflagrar essa reforma, que é responsabilidade constitucional do Congresso e que deve mobilizar a sociedade num plebiscito por meio de uma consulta popular. Como instrumento dessa consulta, o plebiscito, nós vamos encontrar a força e a legitimidade exigida nesse momento de transformação para levarmos à frente a reforma política. Quero discutir esse tema profundamente com o novo Congresso Nacional e com toda a população brasileira, e tenho convicção de que haverá interesse dos setores do Congresso, dos setores da sociedade, de todas as forças ativas na nossa sociedade abrir uma discussão e encaminhar as medidas concretas. Quero discutir igualmente com todos os movimentos sociais e as forças da sociedade civil. Quando cito a reforma política não significa que eu não saiba a importância das demais reformas, das demais reformas, que temos também a obrigação de promover.
Terei um compromisso rigoroso também com o combate à corrupção, fortalecendo as instituições de controle e propondo mudanças nas legislação atual para acabar com a impunidade, que é a protetora da corrupção. Ao longo da campanha anunciei medidas que vão ser muito importantes para que a Sociedade Brasileira e o país como um todo enfrentem a corrupção e acabem com a impunidade, promoverei também com urgência ações localizadas em especial na economia para retomarmos nosso ritmo de crescimento, continuarmos garantindo os níveis altos de emprego e assegurando também a valorização dos salários. Vamos dar mais impulso à atividade econômica em todos os setores, em especial no setor industrial.
Quero a parceria de todos os seguimentos, setores, áreas produtivos e financeiros nessa tarefa que é responsabilidade de cada um de nós brasileiros e brasileiras. Seguirei combatendo com rigor a inflação e avançando no terreno da responsabilidade fiscal, vou estimular o mais rápido possível o diálogo e a parceria com todas as forças produtivas do país, antes mesmo do início do meu próximo governo eu prosseguirei nessa tarefa. Mais que nunca é hora de cada um e de todos nós acreditarmos no Brasil, de ampliarmos nosso sentimento de fé nessa nação incrível a quem nós temos o privilégio de pertencer e a responsabilidade de fazê-la cada vez mais próspera e mais justa. O Brasil, esse nosso querido país, saiu maior dessa disputa e eu sei da responsabilidade que pesa sobre os meus ombros.
Vamos continuar construindo um Brasil melhor, mais inclusivo, mais moderno, mais produtivo, um país da solidariedade e das oportunidades, um Brasil que valoriza o trabalho e a energia empreendedora, um Brasil que cuida das pessoas com o olhar especial para as mulheres, os negros e os jovens, um Brasil cada vez mais voltado para a educação, para a cultura, para a ciência e inovação. Vamos nos dar as mãos e avançar nessa caminhada que vai nos ajudar a construir o presente e o futuro, o carinho, o afeto, o amor e o apoio que recebi nessa campanha me dão energia para seguir em frente com muito mais dedicação. Hoje estou muito mais forte, mais Serena e mais madura para a tarefa que vocês me delegaram, Brasil mais uma vez essa filha tua não fugirá da luta.
Viva o Brasil! Viva o povo brasileiro!

quarta-feira, 22 de outubro de 2014

BOSQUE MUNICIPAL


O vereador Beto Cangussu requereu informações à Prefeitura Municipal com relação ao Bosque Municipal Dr. Fábio Barreto e ao Parque Municipal Morro do São Bento.

Bosque Municipal Dr. Fábio Barreto
:
O Bosque Municipal Dr. Fábio Barreto possui Conselho Gestor?
Se sim. Qual a sua formação? (informar nominalmente). Quais as atribuições de cada membro? se não por que?
O Bosque Municipal é certificado pelo IBAMA? Se sim fornecer cópia da Certidão e das Diretrizes para funcionamento.
Qual o peridiocidade de limpeza dos recintos dos animais? (informar por cada recinto e tipo de limpeza realizada)

Parque Municipal Morro do São Bento:
Existe algum Projeto para que o Parque Municipal Morro São Bento seja completamente cercado? Se sim qual a previsão de efetivação do cercamento?
Quais tipos de atividades são permitidas dentro do Parque Municipal Morro do São Bento?
Quem autoriza a realização destas atividades?
Existe um Plano de Manejo do Parque Morro São Bento? Se sim, fornecer cópia de inteiro teor. Se não, qual a justificativa?
Existe a previsão de implantação de Câmeras de Monitoramento na área do Parque Municipal Morro São Bento? Se sim qual a previsão de instalação?

Leia os Requerimentos 

ATIVIDADES DO GABINETE DO VEREADOR BETO CANGUSSU PARA A CAMPANHA DA DILMA




terça-feira, 21 de outubro de 2014

PROFESSORES COM DILMA


Amigos Professores ; 

Nessa Quarta Feira dia 22 de outubro, estaremos todos juntos para compartilhar esse momento tão importante para todos nós Professores e Professoras a releição da nossa Querida Presidenta Dilma 13. 
 Vamos juntos articular atividades para nossa grande Vitória.
Não percam Amigos Professores.

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

HOMENAGEM AOS PROFESSORES


O vereador Beto Cangussu homenageou a Professora Andréa Rizzi, na sessão solene da Câmara Municipal de Ribeirão Preto, dia 16 de outubro de 2014, homenageando todos os Professores.

LEI QUE PROÍBE AS QUEIMADAS DE CANA DE AÇUCAR EM RIBEIRÃO PRETO É DO VEREADOR BETO CANGUSSU


A lei que proíbe as queimadas de cana de açúcar no município de Ribeirão Preto é de autoria do vereador Beto Cangussu.

Entrevista exclusiva de Lula a Mino Carta (2ª parte)

Entrevista exclusiva de Lula a Mino Carta (1ª parte)

SERVIÇOS PRESTADOS PELO CONTROLE DE ZOONOSES


O vereador Beto Cangussu requereu a Prefeitura Municipal informações sobre os serviços prestados pelo Controle de Zoonoses. Informações como:

  • Quantos médicos Veterinários a prefeitura possui?
  • Existe estudos para a contratação de mais Médicos?
  • Existe Concurso para Médicos Veterinários em aberto?
  • Existe serviço público de castração de animais?
  • Existe projeto para construção de Hospital Veterinário?

Leia o Requerimento encaminhado a Prefeitura

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

RUBEM ALVES - O GRANDE EDUCADOR




O vereador Beto Cangussu apresentou um projeto de Lei, em homenagem a Rubem Alves, denominando logradouro público ou próprio municipal o grande Educador.

Leia o Projeto de Lei

VOTAÇÃO REGIMENTO INTERNO 14 DE OUTUBRO DE 2014


A CEE do Regimento Interno foi constituída por meio do Projeto de Resolução de nº 09/2013 de 06 de Março de 2013, tendo como membros os Vereadores André Luiz da Silva, Capela Novas, Evaldo Mendonça, Glaucia Berenice, Dr. Jorge Parada, Marcos Papa, Ricardo Silva, Saulo Rodrigues e Beto Cangussu presidente e relator desta comissão.

Esta Comissão foi instituída com o objetivo de analisar, atualizar, corrigir e adaptar o Regimento Interno às necessidades atuais da Câmara Municipal de Ribeirão Preto, necessidades justificadas pelo longo período de promulgação e existência do mesmo, que data de 21 de dezembro de 1990.
Além disso, foi formado um grupo de discussão na internet, cujo endereço eletrônico era: http://br.groups.yahoo.com/group/regimentointernocamararibeirao/, cujo objetivo era receber contribuições de internautas, e também publicar as propostas de alterações apresentadas durante as audiências públicas.

VOTAÇÃO REGIMENTO INTERNO - 10 DE OUTUBRO DE 2014


terça-feira, 14 de outubro de 2014

A TODOS OS PROFESSORES O MEU VOTO DE FELICIDADE


UM VEREADOR NECESSÁRIO


Vereador Beto Cangussu é eleito o melhor vereador da Câmara Municipal de Ribeirão Preto, no primeiro, segundo e terceiro trimestre de 2014,  pelo GAPCI (Grupo de Ação Pró Cidadania).

Dilma na TV - Programa 21, Governo Novo, Ideias Novas

NOVO REGIMENTO INTERNO


GRANDEZA X PEQUENEZ

O povo brasileiro escolherá em 26 de outubro entre dois caminhos. Que escolha o rumo audacioso da rebeldia nacional e afirme a grandeza do Brasil
As duas candidaturas compartilham três compromissos fundamentais, além do compromisso maior com a democracia: estabilidade macroeconômica, inclusão social e combate à corrupção. Diferem na maneira de entender os fins e os meios. Diz-se que a candidatura Aécio privilegia estabilidade macroeconômica sobre inclusão social e que a candidatura Dilma faz o inverso. Esta leitura trivializa a diferença.
Duas circunstâncias definem o quadro em que se dá o embate. A primeira circunstância é o esgotamento do modelo de crescimento econômico no país. Este modelo está baseado em dois pilares: a ampliação de acesso aos bens de consumo em massa e a produção e exportação de bens agropecuários e minerais, pouco transformados. Os dois pilares estão ligados: a popularização do consumo foi facilitada pela apreciação cambial, por sua vez possibilitada pela alta no preço daqueles bens. Tomo por dado que o Brasil não pode mais avançar deste jeito.
A segunda circunstância é a exigência, por milhões que alcançaram padrões mais altos de consumo, de serviços públicos necessários a uma vida decente e fecunda. Quantidade não basta; exige-se qualidade.
As duas circunstâncias estão ligadas reciprocamente. Sem crescimento econômico, fica difícil prover serviços públicos de qualidade. Sem capacitar as pessoas, por meio do acesso a bens públicos, fica difícil organizar novo padrão de crescimento.
O país tem de escolher entre duas maneiras de reagir. Descrevo-as sumariamente interpretando as mensagens abafadas pelos ruídos da campanha. Ficará claro onde está o interesse das maiorias. O contraste que traço é complicado demais para servir de arma eleitoral. Não importa: a democracia ensina o cidadão a perceber quem está do lado de quem.
1. Crescimento econômico. Realismo fiscal e manutenção do sacrifício consequente são pontos compartilhados pelas duas propostas. Aécio: Ganhar a confiança dos investidores nacionais e estrangeiros. Restringir subsídios. Encolher o Estado. Só trará o crescimento de volta quando houver nova onda de dinheiro fácil no mundo. Dilma: Induzir queda dos juros e do câmbio, contra os interesses dos financistas e rentistas, sem, contudo, render-se ao populismo cambial. Usar o investimento público para abrir caminho ao investimento privado em época de desconfiança e endividamento. Apostar mais no efeito do investimento sobre a demanda do que no efeito da demanda sobre o investimento.
Construir canais para levar a poupança de longo prazo ao investimento de longo prazo. Fortalecer o poder estratégico do Estado para ampliar o acesso das pequenas e médias empresas às práticas, às tecnologias e aos conhecimentos avançados. Dar primazia aos interesses da produção e do trabalho. Se há parte do Brasil onde este compromisso deve calar fundo, é São Paulo.
2. Capital e trabalho. Aécio: Flexibilizar as relações de trabalho para tornar mais fácil demitir e contratar. Dilma: Criar regime jurídico para proteger a maioria precarizada, cada vez mais em situações de trabalho temporário ou terceirizado. Imprensado entre economias de trabalho barato e economias de produtividade alta, o Brasil precisa sair por escalada de produtividade. Não prosperará como uma China com menos gente.
3. Serviços públicos. Aécio: Focar o investimento em serviços públicos nos mais pobres e obrigar a classe média, em nome da justiça e da eficiência, a arcar com parte do que ela custa ao Estado. Dilma: Insistir na universalidade dos serviços, sobretudo de educação e saúde, e fazer com que os trabalhadores e a classe média se juntem na defesa deles. Na saúde, fazer do SUS uma rede de especialistas e de especialidades, não apenas de serviço básico. E impedir que a minoria que está nos planos seja subsidiada pela maioria que está no SUS. Na segurança, unir as polícias entre si e com as comunidades. Crime desaba com presença policial e organização comunitária. A partir daí, encontrar maneiras para engajar a população, junto do Estado, na qualificação dos serviços de saúde, educação e segurança.
4. Educação. Aécio: Adotar práticas empresariais para melhorar, pouco a pouco, o desempenho das escolas, medido pelas provas internacionais, com o objetivo de formar força de trabalho mais capaz.
Dilma: A onda da universalização do ensino terá de ser seguida pela onda da qualificação. Acesso e qualidade só valem juntos. Prática empresarial, porém, tem horizonte curto e não resolve. Os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia indicam o caminho: substituir decoreba por ensino analítico. E juntar o ensino geral ao ensino profissionalizante em vez de separá-los. Construir, do fundamental ao superior, escolas de referência. A partir delas, trabalhar com Estados e municípios para mudar a maneira de aprender e ensinar.
5. Política regional. Aécio: Política para região atrasada é resquício do nacional-desenvolvimentismo. Tudo o que se pode fazer é conceder incentivos às regiões atrasadas. Dilma: Política regional é onde a nova estratégia nacional de desenvolvimento toca o chão. Não é para compensar o atraso; é para construir vanguardas. Projeto de empreendedorismo emergente para o Nordeste e de desenvolvimento sustentável para a Amazônia representam experimentos com o futuro nacional.
6. Política exterior. Aécio: Conduzir política exterior de resultados, quer dizer, de vantagem comerciais. E evitar brigar com quem manda.
Dilma: Unir a América do Sul. Lutar para tornar a ordem mundial de segurança e de comércio mais hospitaleira às alternativas de desenvolvimento nacional. E, num movimento em sentido contrário, entender-nos com os EUA, inclusive porque temos interesse comum em nos resguardar contra o poderio crescente da China. Política exterior é ramo da política, não do comércio. Poder conta mais do que dinheiro.
7. Forças Armadas. Aécio: O Brasil não precisa armar-se porque não tem inimigos. Só precisa deixar os militares contentes e calmos. Dilma: O Brasil tem de armar-se para abrir seu caminho e poder dizer não. Não queremos viver em um mundo onde os beligerantes estão armados e os meigos, indefesos.
8. O público e o privado. Aécio: Independência do Banco Central e das agências reguladoras assegura previsibilidade aos investidores e despolitiza a política econômica. Dilma: A maneira de desprivatizar o Estado não é colocar o poder em mãos de tecnocratas que frequentam os grandes negócios. É construir carreiras de Estado para substituir a maior parte dos cargos de indicação política. E recusar-se a alienar aos comissários do capital o poder democrático para decidir.
Aécio propõe seguir o figurino que os países ricos do Atlântico Norte nos recomendam, porém nunca seguiram. Nenhum grande país se construiu seguindo cartilha semelhante. Certamente não os EUA, o país com que mais nos parecemos. Ainda bem que o candidato tem estilo conciliador para abrandar a aspereza da operação.
Dilma terá, para honrar sua mensagem e cumprir sua tarefa, de renovar sua equipe e sua prática, rompendo a camisa de força do presidencialismo de coalizão. E o Brasil terá de aprender a reorganizar instituições em vez de apenas redirecionar dinheiro. Ainda bem que a candidata tem espírito de luta, para poder aceitar pouco e enfrentar muito.
Estão em jogo nossa magia, nosso sonho e nossa tragédia. Nossa magia é a vitalidade assombrosa e anárquica do país. Nosso sonho é ver a vitalidade casada com a doçura. Nossa tragédia é a negação de instrumentos e oportunidades a milhões de compatriotas, condenados a viver vidas pequenas e humilhantes. Que em 26 de outubro o povo brasileiro, inconformado com nossa tragédia e fiel a nosso sonho, escolha o rumo audacioso da rebeldia nacional e afirme a grandeza do Brasil.

ROBERTO MANGABEIRA UNGER, CIDADÃO BRASILEIRO, CIDADÃO AMERICANO, FILOSOFO E PROFESSOR CATEDRÁTICO EM HARVARD.

segunda-feira, 13 de outubro de 2014

JORNAL DIGITAL 13 DE OUTUBRO DE 2014


Para receber semanalmente o jornal digital do vereador Beto Cangussu mande seu e-mail para betocangussu@camararibeiraopreto.sp.gov.br ou preencha o formulário ao lado.

sexta-feira, 10 de outubro de 2014

AMPLIAÇÃO E REFORMA DA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE SANTA CRUZ


A assessoria do vereador Beto Cangussu esteve presente na entrega da ampliação e reforma da Unidade Básica de Saúde Santa Cruz Dr. Hélio Lourenço de Oliveira, dia 10 de outubro de 2014.

TRÂNSITO NO COLÉGIO VIKTOR FRANKL

O vereador Beto Cangussu convidou os engenheiros de trânsito da Transerp, para resolver os problemas do trânsito na Av. do Café, em frente a Escola Viktor Frankl.
A direção da escola salientou  que na hora da entrada e saída dos alunos, como a  escola possui mais de 600 alunos,  o movimento de carros na avenida, que já é grande, aumenta, colocando em riscos as crianças e provocando acidentes. 
A escola fica no cruzamento de três ruas: a avenida do café, a rua 21 de abril e a rua tenente Catão Roxo.
Os engenheiros da Transerp, a pedido do vereador, prontificaram  aumentar o tempo do semáforo para pedestres, aumentar o tempo do semáforo para os veículos na rua 21 de Abril, colocar faixas “DEVAGAR ESCOLA” em todas as ruas do cruzamento, orientou  a escola colocar cones para direcionar os veículos dos pais, na hora da entrada e saída dos alunos e comprometeram fazer um monitoramento, para que mais ações possam ser feitas para melhorar o trânsito no local.
Lembramos também, que os motoristas e pedestres devem fazer sua parte para um trânsito seguro e organizado.

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

VEREADOR BETO CANGUSSU FALA SOBRE O RESULTADO DAS ELEIÇÕES 2014 - 07/10/2014



Vereador Beto Cangussu, na sessão da Câmara Municipal, dia 07 de outubro de 2014, no Pinga Fogo, fala sobre o resultado do primeiro turno das eleições de 2014.

OUTUBRO ROSA


Como surgiu:
   O movimento popular internacionalmente conhecido como Outubro Rosa é comemorado em todo o mundo. O nome remete à cor do laço rosa que simboliza, mundialmente, a luta contra o câncer de mama e estimula a participação da população, empresas e entidades. Este movimento começou nos Estados Unidos, onde vários Estados tinham ações isoladas referente ao câncer de mama e ou mamografia no mês de outubro, posteriormente com a aprovação do Congresso Americano o mês de Outubro se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama.
  No dia 02 de outubro de 2002 houve a primeira iniciativa vista no Brasil em relação ao Outubro Rosa, foi a iluminação em rosa do monumento Mausoléu do Soldado Constitucionalista (mais conhecido como o Obelisco do Ibirapuera), situado em São Paulo-SP. 

Procure uma Unidade Básica de Saúde e saiba mais.

PLANO DIRETOR DE RIBEIRÃO PRETO

A Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto apresentou a Proposta para o Projeto de Lei do Plano Diretor de Ribeirão Preto.
O Plano Diretor é parte integrante do processo continuo de planejamento urbano, que deverá contar com a participação da coletividade e englobar o território todo, formado pela parcela urbana e pela parcela rural.


























Click e leia os documentos


PLANO DIRETOR

JUSTIFICATIVA TÉCNICA

segunda-feira, 6 de outubro de 2014

JORNAL DIGITAL 06 DE OUTUBRO DE 2014

Para receber semanalmente o jornal digital do vereador Beto Cangussu mande seu e-mail para betocangussu@camararibeiraopreto.sp.gov.br ou preencha o formulário ao lado.


AGRADECIMENTO


VOTAÇÃO REGIMENTO INTERNO 30 09 2014


A CEE do Regimento Interno foi constituída por meio do Projeto de Resolução de nº 09/2013 de 06 de Março de 2013, tendo como membros os Vereadores André Luiz da Silva, Capela Novas, Evaldo Mendonça, Glaucia Berenice, Dr. Jorge Parada, Marcos Papa, Ricardo Silva, Saulo Rodrigues e Beto Cangussu presidente e relator desta comissão.

Esta Comissão foi instituída com o objetivo de analisar, atualizar, corrigir e adaptar o Regimento Interno às necessidades atuais da Câmara Municipal de Ribeirão Preto, necessidades justificadas pelo longo período de promulgação e existência do mesmo, que data de 21 de dezembro de 1990.
Além disso, foi formado um grupo de discussão na internet, cujo endereço eletrônico era: http://br.groups.yahoo.com/group/regimentointernocamararibeirao/, cujo objetivo era receber contribuições de internautas, e também publicar as propostas de alterações apresentadas durante as audiências públicas.

sexta-feira, 3 de outubro de 2014

CANDIDATOS DO VEREADOR BETO CANGUSSU


POLÍTICA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL

LEI DAS QUEIMADAS

A lei que proíbe as queimadas de cana de açúcar no município de Ribeirão Preto é de autoria do vereador Beto Cangussu, infelizmente as cidades da região ainda não possuem esta legislação.

POLÍTICA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL


O Projeto de Lei nº 0037/13 que institui a Política Municipal de Educação Ambiental no município de Ribeirão Preto, foi aprovado na sessão da Câmara Municipal dia 02 de outubro de 2014.
Veja o vídeo do painel da votação

Leia o Projeto e a justificativa

quinta-feira, 2 de outubro de 2014

VOTAÇÃO NOVO REGIMENTO INTERNO - 16 09 2014


A CEE do Regimento Interno foi constituída por meio do Projeto de Resolução de nº 09/2013 de 06 de Março de 2013, tendo como membros os Vereadores André Luiz da Silva, Capela Novas, Evaldo Mendonça, Glaucia Berenice, Dr. Jorge Parada, Marcos Papa, Ricardo Silva, Saulo Rodrigues e Beto Cangussu presidente e relator desta comissão.

Esta Comissão foi instituída com o objetivo de analisar, atualizar, corrigir e adaptar o Regimento Interno às necessidades atuais da Câmara Municipal de Ribeirão Preto, necessidades justificadas pelo longo período de promulgação e existência do mesmo, que data de 21 de dezembro de 1990.
Além disso, foi formado um grupo de discussão na internet, cujo endereço eletrônico era: http://br.groups.yahoo.com/group/regimentointernocamararibeirao/, cujo objetivo era receber contribuições de internautas, e também publicar as propostas de alterações apresentadas durante as audiências públicas.

Foram realizadas 09 Audiências Públicas, organizadas por eixos temáticos, conforme calendário abaixo descriminado, além do trabalho interno de sistematização das propostas apresentadas e de 02 Audiências conclusivas, uma para apresentação da sistematização das propostas consensuais e divergentes, e outra para apresentação do Relatório Final e do Ante projeto do “Novo Regimento Interno”:
Veja a ata da votação e os artigos votados.

CHAMAMENTO PEB I

O vereador Beto Cangussu requereu a Secretária Municipal da Educação informações sobre quantos concursados para o cargo de PEB I, aprovados no Concurso Público, serão chamados  para o suprimento de demanda e qual a previsão deste chamamento.

Leia o requerimento  e a resposta da prefeitura